Encarnado e Branco

TVGolo.com - Novos Golos

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Em Londres - Parte 2: Arsenal

Faz agora uma semana e ainda estava eu a passear de manhã por Camden. Era o fim de uma estadia de 4 dias repletos de sol convívio inglês.
No domingo de manhã, dia 26 de Abril, aproveitei a manhã para visitar a zona do Palácio de Buckingham. Logo na Victoria Station dava para ver a centena de camisolas vermelhas que denunciavam a presença de adeptos do Arsenal a caminho do seu estádio.

Naquela manhã havia a grande maratona de Londres.É um espectáculo ver como os ingleses vão para a rua apoiar os atletas. Ali em frente ao palácio real era uma enorme multidão a receber com aplausos os corredores. Presenciado o curioso aparato voltei para Victoria Station e resolvi seguir os "gunners". Sentir como é o ritual daqueles companheiros do grande escritor Nick Hornby que no seu "Fever Picth" nos explica tão bem o que é ser do Arsenal.
As carruagens do metro vão se enchendo a cada paragem de arsenalistas. Novamente o mesmo cenário visto na véspera no outro lado da cidade em Upton Park. Crianças, adultos, homens, e mulheres, quase todos de sorriso na cara, todos impecavelmente equipados com as várias camisolas que identificam orgulhosamente o seu clube.

Há poucos anos estive no velho Highbury Park mas não era dia de jogo. A última imagem que tinha era de um estádio integrado no meio de um bairro em perfeita harmonia. Tudo muito britânico.
Agora a curiosidade era grande para conhecer a nova casa que diziam ser muito parecido com a nossa Catedral.
O jogo está marcado para as 13h30. Coisa estranha para quem está habituado a ir ver jogos de noite. Aquela alegria toda que vejo entre a imensa multidão que vai a pé da estação de metro até à zona do estádio é bem capaz de estar associada ao facto deles começarem o seu domingo logo a caminho do jogo do clube do seu coração.
Já nós parecemos uns morcegos. Sempre com futebol na escuridão da noite.

Depois de uma longa caminhada a pé pelo bairro de Highbury no meio de milhares de adeptos encarnados vislumbra-se a rotunda de maior concentração. Do lado direito surge abruptamente o majestoso Emirates Stadium. O impacto visual é brutal porque não se está à espera de um monumento de tão grande dimensão num bairro de casas baixas e iguais. E a primeira dúvida que me surge é esta: então isto é que é idêntico ao nosso estádio?!
E ao mesmo tempo um ligeiro sentimento de decepção em relação à nossa Catedral que na realidade devia ter o mesmo aspecto exterior que tem o Emirates. A fachada exterior é impressionante. A maior parte é envidraçada e deixa ver vários andares de restaurantes cheios de adeptos consumidores, um gigantesco, e imponente, emblema do Arsenal decora uma parte do estádio identificando bem o local. E a loja? A loja faz parte do estádio. Uma área enorme ao lado da bilheteira que obriga o adepto andar logo dentro do estádio a ver todos os produtos possíveis e imaginados das cores arsenalistas. Mais uma vez o destaque vai para uma área dedicada à história do clube. Artigos a evocar a vitória de há 20 anos em Anfield onde foram campeões, réplicas de camisolas antigas, livros, dvd's, tudo que possa evocar a sua rica história e que os adeptos mais novos vão aprendendo.
Desisto de entrar em comparações com a realidade benfiquista. Aquilo é a sério.

A esperança em arranjar bilhetes para ver o jogo esbateu com violência no frio e habitual aviso nas bilheteiras: SOLD OUT.
Mesmo contra o "aflito" M'boro não há bilhetes disponíveis.
Resta ir buscar uma Carlsberg a um supermercado muito concorrido e ir abancar no meio da rotunda a ver a azáfama de gente a chegar e a cantar bem alto "RED ARMY". De frente para os dois canhões estacionados perto da escadaria central de acesso ao estádio vejo todo o tipo de pessoas de copo na mão. Há uma energia positiva muito forte ali a escassos metros das entradas para as bancadas. E o mais estranho para mim que estou habituado a ver centenas de polícias armados em todos os estádios do país, é que ali na terra dos hooligans não se vê um aparato policial triste e ameaçador. Há poucos polícias, quase todos simpáticos, e é possível circular sem problemas à volta de todo o estádio sem sermos revistados.

Vi adeptos do M'Boro a tirarem fotos nos canhões, e voltei a reparar que muitos adeptos passam o tempo a beber cerveja e a ler atentamente o programa do jogo.
Mas o que mais impressiona é que as tais semelhanças com o nosso estádio só podem ser vistas lá dentro e ficam-se pelo desenho. O resto é outra dimensão. Os acabamentos, os símbolos do clube, o aproveitamento dos espaços, a pintura bonita, tudo o que sonhámos para nós está em Londres no Emirates Stadium.
Esta semana joga-se lá uma meia final da Champions. Consigo imaginar o ambiente de tão importante jogo só de lá ter passado umas horas a contemplar. Naquele domingo ganharam 2-0 e garantiram apuramento para a Champions com dois golos de Fabregas festejados no resto do dia pelas zonas mais excitantes de Londres que se encheram de "gunners" em festa.
Tudo diferente da nossa triste realidade.

Não consigo deixar de pensar no Emirates. Todos os dias chego à Luz e vejo a fachada com TMN, Zon, e aquele cimento despido, e pergunto: onde está o símbolo do Benfica? Onde está o nosso emblema? Custa muito por ali o emblema do nosso clube. Só peço isso, o nosso querido emblema como eu vi em Londres, e como mostro aqui em fotos.

Etiquetas:

posted by J G at 11:26 da manhã

14 Comentários:

"Do lado direito surge abruptamente o majestoso Emirates Stadium."
tive essa mesma sensação, andava la a procura dele a pensar q n devia ser por ali pq era td casas pequenas :)
Blogger Viterbo, at 11:31 da manhã  
Para isso era preciso q quem manda ligasse a essas coisas...
Blogger Pedro, at 12:40 da tarde  
Havia tanto para dizer o que se podia e devia de fazer em relação ao nosso "inacabado" estádio mas seria preciso que alguem na direcção pensasse nesses detalhes...
o que não me parece ser possivel!
Adorei a descrição da visita...
obrigado!

Abraço!
Blogger editor69, at 2:17 da tarde  
Mais um texto para a colecção. Daqueles que dão um prazer imenso ler de linha a linha.

Eu estou meio baralhado, tu estás mesmo a pensar fechar este blog daqui a uns dias?
Porquê?

tens noção da centena de leitores que tens diariamente a seguirem os teus textos?

sei que nem nos conhecemos mas peço-te que penses bem antes de encerrares este espaço.
A menos que vás para outra morada...

Paulo Miguéis.
Anonymous Anónimo, at 3:21 da tarde  
Ai dele se avançar com essa (triste) ideia. Já lhe disse que no próprio dia crio uma petição e desato a espalhar pela blogosfera e no twitter. Se for preciso, juntamos uns quantos e fazemos uma 'serenata' à porta da sua casa, voz de Luís Piçarra.

Em relação ao texto, magnífico. Bela descrição.
Blogger Catenaccio, at 3:52 da tarde  
Completamente de acordo. Triste realidade a nossa, quando comparada a esses ícones... E são nestes pequenos (grandes) detalhes que fazem a toda a diferença!

É que na vista exterior do nosso estádio, por muito que as faixas de panos publicitários disfarcem, aquele cimento à mostra parece dar sempre aquele ar de obra inacabada, não houve dinheiro para embelezar.

É como aquela porta de entrada de honra, onde está o busto de Fehér: quem entra ali num salão todo branco pensa que está a entrar nalgum acesso do Santiago Bernabéu, não existe nada que distinga e identifique imediatamente com o Benfica, um incauto espontâneo que por ali passe, nem emblema, nem nenhuma referência da côr vermelha (ou encarnada), nada! Cizento do cimento e branco!

Para não falar do escoamento da vergonhosa rampa de acesso ao estádio, que passa debaixo da 2ª. Circular, aquilo é 3º. Mundo, em dia de procissão! A sorte é que ainda não houve nenhum acidente, que possa ter por em causa aquela obra de gente iluminada!
Anonymous Cosme Damião, at 4:51 da tarde  
? no dia 2/sabado fói feriado NACIONAL?
Anonymous Anónimo, at 5:10 da tarde  
Excelente.

Abraço
Blogger Pedro Varela, at 5:56 da tarde  
Quem diz verdades sobre o Benfica desta maneira não pode fechar blog de maneira nenhuma.estou farto de blogs que apenas falam do sistema,do vieira, do quique e do caralho que os foda a todos.este sim é um post sobre bola.
AY-A-TOLA
Anonymous Anónimo, at 6:30 da tarde  
O nosso problema é o colombo ao lado da catedral.A zona do estádio é uma zona residencial e com uma fluência muito grande de transportes (metros e autocarros para amadora e afins) mas tem o mastodonte comercial à frente. Senão fosse isso éramos capaz de ter mais sorte, porque nem temos uma fluência muito grande de público fora dos dias de jogo, o que é pena.

Nisso os lagartos tiveram mais sorte, mas o alvaláxia também está meio às moscas...connosco duvido que acontecesse isso.

Pena é não teres ido ao clube de inglaterra (e de londres) que mais merece destaque: o grandioso afc wimbledon. Mas eu hei de lá ir para o ano ver o meu clube inglês do coração agora na quinta divisão inglesa.

Abraço, e nem penses em fechar o blog.
Blogger João D., at 8:05 da tarde  
Apesar de ser um ferrenho adepto sportinguista, a qualidade dos teus posts não me passa ao lado. Por essa razão, adicionei os conteúdos em RSS ao meu blog e gostaria que fizesses ao meu.
Anonymous Anónimo, at 9:00 da tarde  
Óptimo post
Anonymous Hugo, at 8:36 da manhã  
Não se esqueçam, no entanto, que o Emirates custou umas 4 vezes mais que o Estádio da Luz.
Gunner 4 life.
Anonymous r9nald9, at 6:04 da tarde  
Boas.
Temos uma diferença visceral. Eu sou Sporting, tu Benfica. Mas une-nos outra coisa que revejo neste post. O gosto pelo futebol e o que o rodeia. Não aqui neste país de gente que não sabe nem gosta de futebol mas sim que os seus clubes ganhem e possam troçar dos outros. Futebol é muito mais que isso. E em Inglaterra ainda podemos sentir isso. O Arsenal nunca foi dos meus clubes ingleses preferidos mas sem duvida que me fizeste lembrar os tempos em que por cá ainda só havia camisolas de 1 a 11 e lá já havia todos os números. E cá ainda não havia nomes nas camisolas e lá já todos tinham. E o Arsenal era David seaman, tony adams, ray parlour, Ian Wright. E era a rivalidade com o Tottenham de Lineker e Gascoigne. Não é saudosismo mas acho que de facto as coisas funcionam quando as pessoas gostam realmente de futebol e têm essa sensibilidade que tu pareces ter.

Abraço

Hugo Namorado
Anonymous Anónimo, at 10:45 da manhã  

Comentar